Carregando...
JusBrasil - Notícias
28 de novembro de 2014
Finalizar

Liminar desobriga devolução de seguro-desemprego

Publicado por Defensoria Pública da União (extraído pelo JusBrasil) - 4 anos atrás

LEIAM 27 NÃO LEIAM

A partir de agora, a União não poderá efetuar compensações involuntárias ou condicionar o pagamento do seguro-desemprego à restituição de parcelas que supostamente tenham sido pagas indevidamente em outra ocasião.

A decisão faz parte de liminar em ação civil pública concedida no último dia 15 em caso que está sob a responsabilidade dos Defensores Daniel Chiaretti e Eliana Monteiro Staub Quinto, da Defensoria Pública da União em São Paulo (DPU/SP). A determinação vale para todo o território nacional e foi deferida pelo Juiz Federal da 1ª Vara Previdenciária de São Paulo, Marcus Orione Gonçalves Correia.

Segundo Daniel Chiaretti, o beneficiário não é notificado que recebeu parcelas irregularmente e só fica sabendo que está em suposto débito quando vai pedir um novo seguro-desemprego.

Neste momento há uma compensação involuntária e o desempregado acaba ficando sem o benefício. Em muitos casos o beneficiário recebeu as parcelas anteriores por falta de informação ou falhas no sistema, entre outras possibilidades. Ou seja, o Estado se aproveita de uma situação de vulnerabilidade para cobrar um débito", explica o Defensor Público.

Defensoria Pública da União

Defensoria Pública da União

Garantir conhecimento e a defesa dos seus direitos.

MISSÃO: Desenvolver pessoas para aprimorar a capacidade de atuação da Defensoria Pública da União. VISÃO: Ser referência no desenvolvimento de pessoas por meio da produção e disseminação de conhecimento em temas afetos à DPU.


Amplie seu estudo

27 Comentários

Faça um comentário construtivo abaixo e ganhe votos da comunidade!

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;)
Alessandro Marques
1 voto

Quem passou por essa situação anterior a essa liminar , tem o mesmo direito de não devolver essa parcela?

1 ano atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Romario Gomes Teixeira
1 voto

Agora só Falta Por a Liminar em Prática e Desbloquear o Pis dos Trabalhadores Para Que Possamos Receber o Beneficio do Seguro Desemprego.
Em 1994 eu Tive o Meu Pis Bloqueado Porque Recebi Quatro Parcelas Quando só Tinha Direito a Três Parcelas, e Entre 1999 e 2000 Não Recebi Cinco Parcelas a Que Tinha Direito, e só Agora em 2014 Descobri Que Tenho o Pis Bloqueado e Que Tenho Que Pagar Uma Parcela do Ano de 1994. Fui ao MTE e Disseram Que Vão Fazer a Conversão Para Imprimir Um Boleto Para Que eu Possa Pagar a Parcela.

Sem Mais, Fico no Aguardo da Decisão do Governo...

Romário Gomes Teixeira

7 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Romario Gomes Teixeira
1 voto

se o governo não divulgar e não por esta liminar em prática. de nada vai adiantar para o trabalhador que está de mãos atadas.

7 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Davi Espíndola
1 voto

Em 2011 tive um pedido de seguro desemprego indeferido devido ter pego anteriormente uma parcela do seguro já estando trabalhando. Fui informado que tinha que ressarcir os valores, e como não tinha condições, deixei para lá, sem acionar a justiça ou fazer qualquer reclamação a respeito. Agora estou prestes a ser demitido da empresa onde trabalho, e a pergunta é: Corro o risco de ter o pedido de seguro desemprego indeferido novamente, por este mesmo motivo?
Agradeço se puderem me esclarecer.

1 semana atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Ana Regina Chagas Santos

Boa Tarde!

Segundo o texto encontrado no site da prefeitura, o trabalhador pode receber seguro desemprego, mesmo após ter a sua carteira assinada, e conforme o site JusBrasil, estes valores não podem ser cobrados posteriormente, para que possa ter direito a um novo Benefício de Seguro Desemprego.

Mas, em um caso recente, um cidadão foi dar entrada em seu benefício, e lhe entregaram um boleto, dizendo que teria que pagar em uma única vez, os valores das parcelas que recebeu após ter sido registrado, sendo estes valores corrigidos com juros, do contrário não poderia receber novo benefício, pois estava bloqueado!

O que deve ser feito neste caso? Como resolver esta questão? Caso realmente tenha que "Devolver o valor", o que deve ser feito, em relação aos juros que correm no período? Pois não é por culpa do cidadão, mas por um problema do sistema, que estes valores são pagos após o registro do mesmo.

1 ano atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://dpu.jusbrasil.com.br/noticias/2437544/liminar-desobriga-devolucao-de-seguro-desemprego